Museu de Arte Popular é conquista inédita

Ricardo Amadasi, artista argentino radicado na cidade, fala com paixão do espaço que coordena

Diário do Grande ABC -da redação

A realização de um sonho pessoal e coletivo. É assim que o escultor Ricardo Amadasi, define a concretização do Museu de Arte Popular, coordenado por ele e inaugurado em outubro deste ano. O escultor diz que a concretização do museu foi possível após a implantação do Projeto Redes de Pontos de Cultura do Governo Federal.

Apaixonado pela arte brasileira, Amadasi afirma que seu objetivo é reunir a cultura popular em todas suas formas e estilos. “Artistas populares têm uma criatividade e uma capacidade que,infelizmente são poucas difundidas”, afirma.

A escolha das obras do acervo do museu foi sua responsabilidade. “O Brasil é uma referência de tamanho continental e para conhecer tudo é preciso viajar muito”, diz Amadasi, que planeja visitar as margens do Rio São Francisco, o Vale de Jequitinhonha e a Bahia em 2008. “Esse é um projeto que vai acabar com muitos tabus e preconceitos com a arte brasileira”, acredita o escultor.

Nascido em Buenos Aires , na Argentina, Ricardo Amadasi sempre foi um amante das artes. Veio para o Brasil aos 28 anos, quando era presidente de Centro Acadêmico da Faculdade de Artes Plásticas, da Argentina. Brasileiro de coração, Amadasi, afirma que sempre sonhou em contribuir de alguma forma com a sociedade. O Museu de Arte Popular foi a realização desse desejo. “Fiquei fascinado com a capacidade criativa do povo brasileiro, da arte brasileira, e esse é o primeiro projeto que tem esse tipo de pensamento, de juntar toda essa cultura popular”.

Consulte Museu de Arte Popular é conquista inédita - Diario do Grande ABC, 8 de dezembro de 2007 - Trecho do texto da redação

<< Voltar