Direitos humanos: caminho para a paz João Avamileno – Prefeito de Santo André

O caminho para a paz entre os seres humanos passa necessariamente pela tolerância, pela aceitação da diversidade, reconhecendo que as diferenças culturais, étnicas, religiosas, sexuais não são uma ameaça, mas antes a expressão da riqueza do espírito humano.

É um caminho árduo, de combate à discriminação que martiriza homens e mulheres por causa da cor da pele, do credo que professam, das diferenças de costumes, das suas posições na pirâmide social.

A proteção integral aos Direitos Humanos envolve o reconhecimento de um mundo com múltiplas faces, a abertura de diálogos e o comprometimento com as causas que façam frente aos sentimentos de ódio, às atitudes preconceituosas e à violência.

O escultor Ricardo Amadasi, com talento e trabalho, soube bem traduzir na matéria os princípios presentes na Declaração Universal dos Direitos Humanos, princípios que são, antes de tudo, um guia para a paz e para a solidariedade humana que transcende as diferenças étnicas, religiosas e de costumes entre os povos.

Consulte Catálogo Direitos humanos na obra de Ricardo Amadasi – Santo André/SP – dezembro de 2003. Trecho do texto de João Avamileno – Prefeito de Santo André

<< Voltar