Amadasi, a fusão de valores Luiz Roberto Alves

A obra de arte de Amadasi, artista comprometido com a vida do grande ABC, convida-nos a educação da sensibilidade. Consequentemente a criação de valores. Valores que poderão ser permanentes quando tudo parece passar depressa e concretos quando se oferece a virtualidade, humanistas para não desvirtuarmos no tecnológico.

Por isso, a obra de Amadasi, funde materiais e valores. Um olhar retrospectivo sobre seu trabalho vê a expressividade fundida ao compromisso. Fusão essa não menos difícil do que o trabalho com diferentes materiais. Os homens e mulheres de sua criação,os objetos e espaços do seu mundo em elaboração fragmentam-se para denunciar, contorcem-se para produzir movimento de vida no espaço e quando lamentam o fazem como catarse e purgação de vida que precisa ser reconstruída.

Se é verdade que a boa obra de arte - que se mantém na memória e ilumina a vida - trata sempre dos grandes temas humanos: amor, dor, desejo, morte,reconstrução, o tratamento emocional é simbólico dos materiais e valores tematiza a vida concreta, o tempo concreto. Destarte, Amadasi senta-se tematizando o milênio, suas utopias e suas realidades.

Na medida em que nosso olhar, solidário com o seu olhar, faz encarnar a sua obra em nosso hoje, projeta-a para o antes e o depois,mostrando que utopias e realidades também se fundem no tempo e no espaço concreto de homens e mulheres, nós. O milênio passa ser lugar da nossa ação e não uma miragem. Parceiros ativos, nós e Amadasi, nosso hoje pode fundir-se no sempre.

Consulte Exposição “Milênio: utopias e realidades” – São Bernardo do Campo/SP – agosto de 1998. Trecho do texto de Luiz Roberto Alves

<< Voltar